O GRAU DE UMIDADE NA COLHEITA E O SISTEMA DE SECAGEM SÃO DETERMINANTES PARA O VIGOR DE SEMENTES DE ARROZ

Autores

  • Jaquelini Garcia UDESC
  • Cileide Maria Medeiros Coelho

DOI:

https://doi.org/10.17224/EnergAgric.2021v36n1p28-40

Resumo

O GRAU DE UMIDADE NA COLHEITA E O SISTEMA DE SECAGEM SÃO DETERMINANTES PARA O VIGOR DE SEMENTES DE ARROZ

 

JAQUELINI GARCIA1, CILEIDE MARIA MEDEIROS COELHO1

 

1Programa de Pós-graduação em Produção vegetal, Universidade do Estado de Santa Catarina, Avenida Luiz de Camões, 2090, Conta Dinheiro, 88520-000, Lages, SC, Brasil, jaquelini.garcia@hotmail.com, cileide.souza@udesc.br

 

RESUMO: O grau de umidade na colheita e o sistema de secagem podem ser determinantes na qualidade das sementes produzidas. Neste trabalho foi avaliado se o sistema de secagem e o grau de umidade na colheita interferem na qualidade fisiológica das sementes de arroz. Foi realizado em delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial triplo. Foi utilizada seis cultivares produzidas no Alto Vale do Itajaí/SC na safra 2016/17 com grau de umidade na colheita igual ou superior a 17% (19,30 - 17,30%) e inferior a 17% (16,40 - 15,03%) (base úmida). As sementes foram submetidas aos sistemas de secagem estacionário e intermitente. Realizou-se testes de germinação, viabilidade, vigor pelo envelhecimento acelerado e frio. Sementes colhidas com grau de umidade ≥ 17% apresentaram maior vigor. A cultivar foi um fator de grande relevância na sensibilidade ao dano térmico e mecânico. O sistema de secagem não afetou a viabilidade das sementes, com exceção da cultivar SCS122 Miura que foi sensível a dano térmico e mecânico. A secagem estacionária comprometeu a qualidade fisiológica. Conclui-se que a secagem intermitente e a colheita com grau de umidade igual ou superior a 17%, mantém a qualidade fisiológica das cultivares SCSBRS Tio Taka, SCS122 Miura, SCS116 Satoru e SCS121 CL.

 

Palavras-chaves: Secagem estacionária, secagem intermitente, qualidade fisiológica.

 

THE DEGREE OF MOISTURE IN THE HARVEST AND THE DRYING SYSTEM ARE DETERMINANT FOR THE RICE SEED VIGOR

 

ABSTRACT: The degree of moisture at harvest and the drying system can determine the quality of the seeds produced. In this work, it was evaluated whether the drying system and the degree of moisture at harvest affect the physiological quality of rice seeds. It was conducted in a completely randomized design in a triple factorial scheme. Six cultivars produced in Alto Vale do Itajaí/SC in the 2016/17 crop were used, with moisture content at harvest equal or greater than 17% (19.30 – 17.30%) and less than 17% (16,40 - 15,03%) (wet basis). Seeds were submitted to stationary and intermittent drying systems. Tests of germination, viability, vigor by accelerated aging and cold were performed. Seeds harvested with moisture content ≥ 17% showed greater vigor. The cultivar was a factor of great relevance in the sensitivity to thermal and mechanical damage. The drying system did not affect seed viability, except for the cultivar SCS122 Miura, which was sensitive to thermal and mechanical damage. Stationary drying compromised physiological quality. It was concluded that intermittent drying and harvesting with moisture content equal or greater than 17% maintain the physiological quality of the SCSBRS Tio Taka, SCS122 Miura, SCS116 Satoru and SCS121 CL cultivars.

 

Keywords: Stationary drying, intermittent drying, physiological quality.

Publicado

2021-07-20

Como Citar

Garcia, J., & Medeiros Coelho, C. M. (2021). O GRAU DE UMIDADE NA COLHEITA E O SISTEMA DE SECAGEM SÃO DETERMINANTES PARA O VIGOR DE SEMENTES DE ARROZ. ENERGIA NA AGRICULTURA, 36(1), 28–40. https://doi.org/10.17224/EnergAgric.2021v36n1p28-40

Edição

Seção

Automação e Otimização de Máquinas e Equipamentos Agrícolas