ANÁLISE TÉCNICO ECONÔMICA DO APROVEITAMENTO DA PALHADA DA CANA-DE-AÇÚCAR NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO NORTE DO PARANÁ

  • Thiago Ometto Zorzenoni Universidade Estadual de Londrina
  • Rai Rigonatto Batista Universidade Estadual de Londrina
  • Rai Rigonatto Batista Universidade Estadual de Londrina
  • Cristiane de Conti Medina Universidade Estadual de Londrina
  • João Tavares Filho Universidade Estadual de Londrina

Resumo

A palhada representa um terço da energia primária da cana-de-açúcar, mas a sua utilização ainda é incipiente, apesar da grande potencialidade para o seu aproveitamento. O objetivo do trabalho foi avaliar o potencial de geração de energia elétrica da palhada de cana-de-açúcar em conjunto com o bagaço, através de uma análise técnico-econômica. Realizou -se o dimensionamento de uma frota dedicada ao recolhimento da palhada e de uma nova planta de cogeração, com substituição das caldeiras e turbinas existentes, inclusive as turbinas de acionamento dos equipamentos de preparação e extração, em uma usina típica do norte do Paraná. Foram estimados os investimentos necessários para a aquisição dessa frota e da modernização proposta para a área industrial. Os custos do recolhimento da palhada e da geração de energia elétrica foram calculados, bem como o preço mínimo de venda da energia. Também foram calculados a quantidade de consumidores residenciais e os municípios que poderiam ser abastecidos por essa energia. A capacidade de exportação é de 111,912 kWh por tonelada de cana-de-açúcar, com custo da palhada no pátio de bagaço da usina a R$68,08 t-1, custo da energia-elétrica de R$125,55 MWh e preço mínimo de comercialização da energia a R$316,64 MWh. A energia elétrica exportada pode atender uma população de 87.946 pessoas, o que corresponde a energia consumida pela cidade onde estaria localizado o projeto e de mais seis municípios canavieiros do Norte do Paraná. O projeto proporciona a criação de 96 novos empregos diretos.

PALAVRAS-CHAVES: Cogeração, eletricidade, bioenergia, biomassa, enfardamento.

 

TechnIC-economic evaluation of sugarcane straw FOR power generation in ParanA STATE

ABSTRACT: The straw represents one-third of the sugarcane’s primary energy, but its exploitation is still incipient, despite having a huge potential for its utilization. This research aimed to evaluate the potential energy generation of sugarcane residues together with the bagasse, through a technical and economic analysis. The fleet sizing dedicated to straw harvesting and a new combined heat and power plant, replacing the existing boilers and turbines, inclusive the turbines of preparation and extraction, was made in a north of Parana’s typical sugarcane mill. All the investments required were estimated in order to purchase this new fleet and proposals for the modernization of the industrial area. The straw harvesting and electrical power generation expenses were determined, as well as the energy’s minimum selling price. The residential consumers were also estimated and as well as the cities that could be supplied with this energy. The export capability is 111.912 kW per ton of cane, the straw in the plant’s stockyards R$68.08 t-1, electrical energy cost R$125.55 MWh and the energy selling minimum price, R$316.64 MWh. The exported energy attends an 87,946 population, what corresponds to the power consumption of the city where the project takes place and over 6 sugar cane producer cities in the North of Parana. This project provides 96 new direct employment creation.

KEYWORDS: Cogeneration, electricity, bioenergy, biomass, baling.

Biografia do Autor

Thiago Ometto Zorzenoni, Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Agronomia

 

Rai Rigonatto Batista, Universidade Estadual de Londrina

Centro de Ciências Exatas

Bioenergia

Rai Rigonatto Batista, Universidade Estadual de Londrina

Centro de Ciências Exatas

Bioenergia

Cristiane de Conti Medina, Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Agronomia

 

João Tavares Filho, Universidade Estadual de Londrina

 

Departamento de Agronomia

 

Publicado
2017-11-27
Seção
Biomassa e Bioresíduos