PERCOLADO DE ATERRO SANITÁRIO NO CULTIVO DA MAMONEIRA: ALTERAÇÕES QUÍMICAS EM ARGISSOLO VERMELHO-AMARELO*

  • Jeronimo Andrade Filho Instituto Federal do Rio Grande do Norte
  • Nildo da Silva Dias UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIARIDO
  • Rafael de Oliveira Batista UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIARIDO
  • José Amilton Santos Júnior UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO
  • José Francismar Medeiros UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIARIDO
  • Ana Luiza Lima Ferreira ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ/USP

Resumo

PERCOLADO DE ATERRO SANITÁRIO NO CULTIVO DA MAMONEIRA: ALTERAÇÕES QUÍMICAS EM ARGISSOLO VERMELHO-AMARELO*

 

 

JERÔNIMO ANDRADE FILHO1; NILDO DA SILVA DIAS2;

RAFAEL OLIVEIRA BATISTA3; JOSÉ FRACISMAR DE MEDEIROS2;

JOSÉ AMILTON SANTOS JÚNIOR4; ANA LUÍZA LIMA FERREIRA5

 

*Artigo extraído da Tese de Doutorado do primeiro autor

1Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Rua Raimundo Firmino de Oliveira, 400 - Conj. Ulrick Graff, Mossoró-RN, CEP: 59.628-330, Email:andrade.filho@ifrn.edu.br

2Departamento de Ciências Agronômicas e Florestais, Universidade Federal Rural do Semiárido, Av. Francisco Mota, 572 - Bairro Costa e Silva, Mossoró-RN, CEP: 59.625-900, Email: nildodias@ufersa.edu.br; jfmedeir@ufersa.edu.br

3Departamento de Engenharia e Ciências Ambientais, Universidade Federal Rural do Semiárido, Av. Francisco Mota, 572 - Bairro Costa e Silva, Mossoró-RN, E mail: rafaelbatista@ufersa.edu.br

4Departamento de Engenharia Agrícola, Universidade Federal Rural de Pernambuco, R. Manuel de Medeiros, s/n - Dois Irmãos, Recife - PE, CEP: 52171-900, E mail: eng.amiltonjr@hotmail.com

5Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Av. Pádua Dias, 11 - Cx. Postal 9 - Piracicaba – SP,

CEP: 13418-900 E mail: luizaferreira@usp.br

 

 

1 RESUMO

 

O aproveitamento agrícola do percolado de aterro sanitário pode mitigar certos impactos ambientais, sobretudo quando eventuais alterações químicas no solo são monitoradas. Dito isto, em Mossoró-RN (5º11’31’’S, 37º20’40’’O), entre setembro de 2014 e janeiro de 2015, desenvolveu-se esta pesquisa, com o objetivo de quantificar alterações nas características químicas de um Argissolo vermelho-amarelo Eutrófico cultivado com plantas de mamona (Ricinus communis L.) que receberam aplicação de percolado de aterro sanitário. O experimento foi conduzido em blocos casualizados com cinco tratamentos e quatro repetições; do total da demanda hídrica da cultura, aplicou-se inicialmente percentuais (0; 20; 40; 60 e 80%) de percolado de aterro sanitário e, em seguida, o restante em água de abastecimento. Concluiu-se que com o incremento do percentual de percolado aplicado houve aumento do pH e no quantitativo de Ni, Cd e Pb, assim como os teores de Ca e Cu foram reduzidos nos primeiros 0,20 m. A condutividade elétrica do extrato de saturação, e o quantitativo de Fe e Cu não variou ao longo do perfil, entretanto, verificou-se aumento na capacidade de troca catiônica (CTC) - até a dose de 60% de percolado, e do percentual de sódio trocável (PST) – embora sempre abaixo de 15%. A variação no quantitativo de Mn, Zn, Ni, Cd e Pb não ultrapassou os limites impostos pela legislação vigente.

   

Palavras-chave: resíduo líquido, metais pesados, sustentabilidade

 

 

ANDRADE FILHO, J; DIAS, N. S; BATISTA, R.O; MEDEIROS, J.F;

SANTOS JUNIOR, J.A; FERREIRA, A.L.L

LANDFILL PERCOLATION IN CASTOR BEAN ULTIVATION: CHEMICAL CHANGES IN RED-YELLOW ARGISOL

 

 

2 ABSTRACT

 

The agricultural use of landfill percolation can mitigate certain environmental impacts, especially when possible chemical changes in the soil are monitored. Thus, in Mossoró, RN (5º11’31'”S, 37º20’40” W), between September 2014 and January 2015, this research was developed with the objective of quantifying changes in the chemical characteristics of a Eutrophic red-yellow agrisol cultivated with castor bean plants (Ricinus communis L.) that received landfill percolation. The experiment was conducted in a randomized block with five treatments and four replicates; percentages (0%, 20%, 40%, 60% and 80%) of percolated landfill were initially applied, followed by water supply. It was concluded that, with the increase of the percolation percentage applied, there was an increase in pH and in the quantity of Ni, Cd and Pb, while the Ca and Cu contents were reduced in the first 0.20 m. The electrical conductivity of the saturation extract, and the quantitative Fe and Cu did not vary along the profile. Nevertheless, there was an increase in CTC – up to 60% of the percolation, and exchangeable sodium percentage (ESP) – albeit always below 15%. The variation in the quantity of Mn, Zn, Ni, Cd and Pb did not exceed the limits imposed by the current legislation.

 

Keywords: liquid waste, heavy metals, sustainability

Publicado
2018-06-18
Seção
Artigos