CARBON FOOTPRINT OF BROILER MEAT AND BEEF BRAZILIAN CONSUMERS

Raquel Baracat Tosi Rodrigues da Silva, Thayla Morandi Rindolfi de Carvalho Curi, Nilsa Duarte da Silva Lima, Irenilza de Alencar Naas, João Gilberto Mendes dos Reis

Resumo


The present study aimed to compare the carbon footprint of consumers with a similar lifestyle who frequently eat beef and those who eat broiler meat. An online questionnaire was distributed using several networks. The questions were about the customer age, level of education, gender, marital status, family size, type of house, salary, car type, and appropriate actions toward sustainability. A total of 222 answers were analyzed using the Cluster Analysis with a unweight pair-group average and employing Euclidean distance. Mean values were compared using Student T-test adopting the significance level of 95% (p value ≤ 0.05). After identifying the Clusters, five individuals from each Cluster were randomly selected, and the carbon footprint was calculated. Results indicated that individuals with the same lifestyle that eat  beef have a higher carbon footprint (3 t/year) than those who eat broiler meat. .

KEYWORDS: Environmental impact, meat consumers, ecological impact, beef production, broiler production.

 

RESUMO. O presente estudo visou comparar a pegada de carbono de consumidores com estilo de vida semelhante, que consumiam carne bovina e carne de frango com frequência. Um questionário online foi distribuído usando as redes disponíveis. As questões perguntadas versaram a respeito do perfil do consumidor, constando idade, nível de educação, gênero, estado civil, tamanho da família, tipo de residência, tipo de carro, e ações adotadas visando sustentabilidade. Um total de 222 respostas foi analisado com da aplicação da análise de Cluster adotando peso equitativo de médias e a distância Euclidiana. Os valores médios foram comparados usando o teste T-Student e adotando a significância no nível de 95% (p valor ≤ 0.05).  Após a identificação dos agrupamentos das respostas, cinco indivíduos de cada Cluster foram selecionados ao acaso e as pegadas de carbono destes indivíduos foram calculadas. Os resultados indicaram que aqueles indivíduos com o mesmo estilo de vida que consumiram carne bovina apresentaram uma pegada de carbono maior (3 t/ano) do que aqueles que consumiram carne de frango, em todos os grupos estudados.

PALAVRAS-CHAVE: Impacto no meio ambiente, consumidores de carne, impacto ecológico, produção de carne bovina, produção de frangos de corte. 


Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.17224/EnergAgric.2017v32n2p153-156