FRAGILIDADE AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CAPIVARA, BOTUCATU-SP

Daniela Polizeli Traficante, Sérgio Campos, Rodrigo Lillla Manzione, Bruno Timóteo Rodrigues

Resumo


O objetivo deste trabalho foi identificar a fragilidade ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Capivara, Botucatu-SP. Foram utilizados os atributos uso da terra, solos, declividade e geologia através da Combinação Linear Ponderada (álgebra de mapas) em que cada um foi considerado um fator condicionante à fragilidade ambiental. A normalização dos fatores se deu pelas classes de fragilidade com notas variando de um a cinco, de muito baixa à muito alta, respectivamente, e a determinação dos pesos pelo método do Processo Hierárquico Analítico. Os resultados indicaram que a bacia apresentou altos índices de fragilidade, em 90,4% de sua área total, tendo o uso da terra ocupado pelas áreas de pastagens degradadas como o maior vetor de pressão. Somente 9,6% da área total da bacia foram classificadas com baixos índices de fragilidade onde estão as áreas com cobertura florestal (nativas e reflorestamento de eucalipto) mata ciliares e as áreas de várzea. Estes índices de alta fragilidade vem contribuindo para a redução da disponibilidade hídrica da bacia como consequência da falta de planejamento ambiental e exploração desordenada dos recursos naturais.



DOI: http://dx.doi.org/10.17224/EnergAgric.2017v32n1p%25p