CULTIVO DA SOJA EM SISTEMAS DE SEMEADURA EM LINHAS CRUZADAS E CONVENCIONAL

André Ricardo Rodrigues, Magno Luiz de Abreu, Everton dos Santos de Oliveira

Resumo


A importância da soja para o agronegócio brasileiro é bastante expressiva, por este motivo existe um número significativo de pesquisas associadas às melhorias de produtividade desta cultura, neste sentido o presente trabalho buscou avaliar o desenvolvimento da soja quanto as suas características de produtividade em sistema de semeadura cruzada. O experimento foi implantado no campo experimental do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso, Campus Campo Novo do Parecis em Latossolo Vermelho Distroférrico típico muito argiloso (68% de argila),   a cultivar utilizada foi a TMG 132. O delineamento experimental foi de blocos casualizados em esquema fatorial 2X5, totalizando 10 tratamentos com 3 repetições cada, sendo que o primeiro fator corresponde aos dois sistemas de cultivo (semeadura cruzada e convencional) e, o segundo fator as 5 densidades populacionais (222000 plantas ha-1; 288000 plantas ha-1; 333000 plantas ha-1; 399000 plantas ha-1; 444444 plantas ha-1). Cada parcela foi constituída de 9 linhas de 4 metros espaçadas em 0,45 metros. Para a área útil da parcela foi utilizado 5 linhas centrais por 2 metros de comprimento. Na área útil das parcelas foram avaliados produtividade, massa seca e os componentes de produção, a adubação foi depositada na linha de semeadura. Não se constatou diferença significativa na produtividade, número de grãos por vagem e na massa de mil grãos tanto nos diferentes sistemas quanto nas populações, como o sistema de semeadura cruzada necessita de maior quantidade de passadas de semeadora na área se constatou uma prática não viável.




DOI: http://dx.doi.org/10.17224/EnergAgric.2017v32n1p%25p